Previamente apresenta… Os 100 nomes de 2022!

Anitta e Beyoncé na música. Brendan Fraser, Tom Cruise e Mia Goth no cinema. Isabel Teixeira, Sophie Charlotte, Letícia Colin e Regina Casé na TV. E outros 91 nomes que marcaram o ano!

Veículos mundo afora elegem, há décadas, os nomes que marcaram o ano. Então pensamos: “por que não?”. Abaixo, você verá os artistas que brilharam no cinema, na TV e na música ao longo dos últimos meses e que, consequentemente, não saíram da boca das pessoas. Estamos confiantes de que esta lista será testemunho do protagonismo das(os) escolhidas(os). Esperamos que goste!

A LISTA

A cubana Ana de Armas esteve em três filmes em 2022, sendo que em um deles interpretou Marilyn Monroe no mal avaliado pela crítica Blonde, enquanto o estadunidense Austin Butler viveu Elvis Presley no já aclamado Elvis. Destaque positivo (e controverso!) também para Lily James, que ficou irreconhecível na pele de Pamela Anderson para Pam & Tommy, série disponível na Star+.

Falando da 7ª arte retratando a vida, Will Smith venceu o Oscar de Melhor Ator após interpretar Richard Williams em King Richard, mas acabou sendo mais lembrado pelo famoso tapa em Chris Rock durante a cerimônia da premiação ao defender sua esposa de uma piada de mau gosto do comediante. Ele é Gordon (“Whipped Peter”) em Emancipation, lançado este ano. Já a consagrada Viola Davis protagonizou The Woman King, sobre a unidade de guerreiras mulheres que protegia o reino do Daomé durante os séculos XVII a XIX. A atriz até veio ao Brasil para divulgar o trabalho.

Fotos: Daniele Venturelli. WireImage / Damian Shaw / Divulgação / Steve Granitz. Getty Images / Reuters

Adam Scott e Britt Lower brilharam na série Severance, drama futurístico da Apple TV+ sobre “aprisionamento tecnológico”.

Alexa Demie e Jacob Elordi caíram na graça do público de vez – principalmente no Twitter – após o lançamento da 2ª temporada de Euphoria, disponível na HBO Max. O mesmo vale para Sydney Sweeney, que foi indicada ao Emmy por sua atuação na série, como também pela série The White Lotus. O resto é história!

Fotos: Divulgação / Getty Images / Divulgação / Getty Images / Presley Ann. Getty Images for LACMA

A 4ª fase do Universo Cinematográfico Marvel (UCM) segue a todo vapor e, claro, muitos artistas se beneficiam com o engajamento dos fãs sobre os filmes e séries. Benedict Cumberbatch e Elizabeth Olsen reprisaram os papéis de Doutor Estranho e Feiticeira Escarlate, respectivamente, em Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. Tom Holland – além de protagonista Uncharted – colheu os frutos de Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa, lançado no último dezembro. Aubrey Plaza, que apareceu em The White Lotus, galgou um papel importante em Agatha: Coven of Chaos, que estreia no próximo ano.

Em meio às inúmeras polêmicas do filme Não Se Preocupe, Querida, uma coisa é certa: a atuação da inglesa Florence Pugh é (como já esperado) irretocável. Ela também brilha no longa-metragem O Milagre, disponível na Netflix.

Fotos: Divulgação / Gerald Matzka. AP Images / Divulgação / Divulgação / Divulgação 

Quem brilhou na Rede Globo em 2022 foi a novata Alanis Guillen, que assumiu a responsabilidade de interpretar Juma Marruá no remake de Pantanal e que, cá entre nós, fez muito bonito. O apresentador Marcos Mion não ficou longe. Ele é um dos contratados da nova safra da emissora e impactou na audiência dos sábados com o programa Caldeirão.

A 22ª edição do BBB não teve a mesma relevância das duas temporadas anteriores, mas alguns nomes cativaram o público. Tadeu Schmidt, que assumiu a frente da apresentação este ano, virou queridinho do Brasil durante o decorrer do programa. Após a passagem pelo reality, Jade Picon garantiu um papel de destaque na novela Travessia, o que rendeu alguns memes por seu desempenho com sotaque fake carioca, e a cantora Linn da Quebrada foi eleita a Mulher do Ano pela revista Glamour.

Fotos: Webert Belicio. Agnews / Divulgação / João Cotta. Globo / Estevam Avellar. Globo / Gabriel Renne

Indicado ao Grammy em duas categorias importantes no gênero de rock, o duo Black Pumas foi um dos destaques da edição deste ano do festival Lollapalooza. O evento também trouxe para o line-up um show inesquecível de Miley Cyrus, que fez mais de 100 mil pessoas cantarem em alto e bom som sucessos como “Party in the USA”, “Nothing Breaks Like a Heart” e “The Climb”, além de chamar nossa Anitta ao palco para cantar “Boys Don’t Cry”, hit da brasileira.

Falando em festivais no Brasil, Demi Lovato e Megan Thee Stallion passaram pelo Rock in Rio para divulgar os novos álbuns Holy Fvck e Traumazine, respectivamente. Caroline Polachek participou da estreia do Primavera Sound no país, marcando sua passagem pelo Brasil com muito carisma ao atender os fãs.

Fotos: Jody Domingue. Divulgação / Divulgação / Michael Tran. AFP / Getty Images / Henry Redcliffe

Os brasileiros também puderam assistir a shows solos dos seus artistas favoritos este ano. A espanhola Rosalía colocou todo mundo para cantar ao som do álbum Motomami, enquanto Harry Styles trouxe os sons de Harry’s House para várias capitais do país. Dua Lipa passou por São Paulo para o encerramento da era Future Nostalgia. Além dela, Avril Lavigne também fez show na capital paulista para divulgar o disco Love Sux.

Falando em show… O cantor The Weeknd, que brilhou este ano com o álbum Dawn FM, já está com datas confirmadas para passar pelo Brasil no próximo ano.

Fotos: Gustavo Valiente. Getty Images / Jamie McCarthy. Getty Images / Divulgação / Evan Agostini. Invision. AP / Divulgação

É impossível dizer que Heartstopper e a 4ª temporada de Stranger Things, ambas da Netflix, não foram algumas das séries mais faladas do ano. Na adaptação do livro com mesmo nome, muito se deve ao desempenho dos novatos Kit Connor e Joe Locke. Já no sci-fi, chamaram a atenção as atuações de Sadie Sink e Jamie Campbell Bower como a possuída Max e o terrível Vecna, respectivamente.

Quem fez bonito nas telinhas, também, foi Gwendoline Christie. A atriz interpreta Lucifer em The Sandman e a diretora Weems em Wednesday (ou Wandinha, no português) – ela visitou o Brasil, agora em dezembro, para falar sobre as duas séries na CCXP.

Fotos: Getty Images / Divulgação / Elisabetta A. Villa. Getty Images / Divulgação / Getty Images

A revista Time já decretou: Michelle Yeoh é o ícone do ano. O motivo? A impecável atuação em Tudo em Todo o Lugar Ao Mesmo Tempo, um dos filmes mais aclamados deste ano. 

Por falar em atuações marcantes, destaque para Jessica Chastain em Os Olhos de Tammy Faye, que lhe rendeu o Oscar de melhor atriz em 2022, e O Enfermeiro da Noite; e Zoë Kravitz como Selina Kyle, a Mulher-Gato, em Batman. Menção necessária para Ariana DeBose, que venceu o Oscar de atriz coadjuvante pelo remake do filme Amor, Sublime Amor (West Side Story).

Da mente brilhante de Ti West surgiram os roteiros para X e Pearl, dois dos filmes de terror mais comentados do ano. Logo mais veremos sua direção para MaXXXine, que conclui a franquia.

Fotos: AP / Roger Kisby. The New York Times / Evan Agostini. Invision. Associated Press / Jordan Strauss. Invision. AP / Jack Plunkett. Invision. AP

O single “Lift Me Up” para a trilha sonora de Pantera Negra: Wakanda Para Sempre e o anúncio de que será a apresentação do intervalo do Super Bowl LVII. Dois fatos bastaram para Rihanna ser um dos nomes mais comentados do ano nas redes sociais. Ainda considerando o impacto do Twitter e TikTok, Taylor Swift impulsionou o sucesso do álbum Midnights, enquanto Meghan Trainor viralizou com a música “Made You Look”.

Reconhecimento internacional (mais que merecido!) para as brasileiras Liniker e Ludmilla. As cantoras venceram categorias do Grammy Latino com os discos Indigo Borboleta Anil e Numanice #2, respectivamente. Liniker, inclusive, se tornou a primeira artista brasileira trans a vencer na premiação.

Fotos: Divulgação / Mark Blinch. Reuters / Unique Nicole. Getty / Andy Santana. Brazil News / Divulgação

2022 foi um bom ano para filmes de terror, cá entre nós. Entre os destaques estão Não! Não Olhe!, Noites Brutais e Morte Morte Morte que contam com atuações emblemáticas de Brandon Perea, Georgina Campbell e Rachel Sennott, respectivamente. Um ótimo ano também para Neve Campbell, que reprisou o papel de Sidney Prescott no novo filme da franquia Pânico, mantendo para si o título de “scream queen” atemporal.

O Eric, de Sex Education, está alçando novos voos. Ncuti Gatwa será o 15ª Doutor em Doctor Who e um dos Ken em Barbie – ambos estreiam no próximo ano.

Fotos: Rodin Eckenroth. FilmMagic / Getty Images / Divulgação / AP / Divulgação

Nós gostamos de retornos, não dá para negar. Ver Christina Ricci, ícone da década de 90, brilhar nas séries Yellowjackets e Wednesday (Wandinha) nos enche de alegria. O mesmo vale para Jennifer Coolidge, que impulsionou a recepção da comédia The White Lotus entre o público, e de quebra levou para casa o Emmy de melhor atriz coadjuvante em série limitada.

Roubar a cena? Isso é com Freddie Stroma, o Vigilante de Peacemaker, da DC.

Muitas obras retrataram casos reais este ano. Em meio às polêmicas, destaques para Amanda Seyfried como a fraudulenta Elizabeth Holmes em The Dropout; e Evan Peters em Dahmer – Monster: The Jeffrey Dahmer Story.

Fotos: Dan Doperalski. Variety / Divulgação / Divulgação / Jill Greenberg. Variety / Matt Winkelmeyer. Getty Images

A brasileira Grag Queen venceu o reality show internacional Queen of the Universe, trazendo U$ 250 mil para casa e dando início à sua carreira musical. Pabllo Vittar subiu ao palco do Coachella, apresentou o programa Queen Stars Brasil e lançou singles como “AMEIANOITE”, em parceria com Gloria Groove, e “Follow Me”, em colaboração com Rina Sawayama.

Bruna Marquezine entrou para o elenco de Besouro Azul, adaptação da DC que estreia ano que vem, aumentando o seu reconhecimento internacional. Sem falar, é claro, do seu impacto fashionista. A participação na série Maldivas, da Netflix, a gente finge que não viu.

Jão cravou seu lugar no cenário pop nacional após levar multidões para festivais e shows sold out. Tanto que foi eleito um dos homens do ano pela GQ. E o que falar da banda Jovem Dionísio, que introduziu a música “Acorda Pedrinho” na cabeça de todos os brasileiros, hein? Ouça também Pontos de Exclamação.

Fotos: Divulgação / Iwi Onodera. Brazil News / Reprodução. Instagram / Reprodução. Instagram / Divulgação

A boa música também faz artistas serem mundialmente reconhecidos. Como prova, quatro álbuns lançados este ano que direcionaram os holofotes. Temos o impacto de Bad Bunny após Un Verano Sin Ti; os elogios para Carly Rae Jepsen graças às músicas de The Loneliest Time; a reviravolta de Tove Lo com Dirt Femme; e mais tempo de tela para Jack Harlow, que divulgou o disco Come Home the Kids Miss You.

Falando em música boa: ouça We Are, o 6º álbum de estúdio de Jon Batiste. O cantor venceu, em abril, o Grammy de Álbum do Ano, outros quatro troféus e mais seis indicações.

Fotos: Divulgação / Divulgação / Divulgação / Amy Sussman. Getty Images / Getty Images

Interpretar Kate Sharma na série Bridgerton, da Netflix, foi o que bastou para catapultar Simone Ashley para o estrelato.

Abbott Elementary é uma das melhores séries do ano. É indiscutível. Já falamos dela aqui no Previamente, mas, agora, destacamos as atuações de Sheryl Lee Ralph e Quinta Brunson, que deixam os episódios ainda mais prazerosos. Pontos para elas!

Rhea Seehorn e Bob Odenkirk brilharam na 6ª e derradeira temporada de Better Call Saul, spin-off de Breaking Bad, conquistando os aplausos dos fãs, críticos, além de indicações às principais premiações da TV, incluindo o Emmy Awards. 

Fotos: Jeff Spicer.Getty Images / Getty Images / Dan Doperalski. Variety / Getty Images / John Lamparski.Getty Images

Não faltaram artistas roubando a cena na TV, seja em séries ou telefilmes. Sério. Só em 2022, tivemos Jason Sudeikis em Ted Lasso; Jeremy Strong em Succession; e Melanie Lynskey em Yellowjackets e Candy.

Ninguém pediu, mas o spin-off de Game of Thrones veio aí. E a recepção foi bacana… House of the Dragon marca as brilhantes performances de Matt Smith e Emma D’Arcy como Daemon e Rhaenyra Targaryen. Vai um negroni sbagliato com prosecco?

Fotos: AP Photo. Jae C. Hong / Dimitrios Kambouris. Getty / Trae Patton. Getty Images / Divulgação / Divulgação

Não é só em Saturday Night Live que Bowen Yang se destacou esse ano. O ator esteve nos filmes Fire Island e Mais Que Amigos, ambos com temática LGBTQIA+, mostrando todo o seu senso de humor. Por sua vez, o autor João Emanuel Carneiro revolucionou o modo de assistir novela com a viciante Todas as Flores, primeira obra do gênero feita exclusivamente para o serviço de streaming Globoplay.

A 4ª temporada de Stranger Things, da Netflix, como esperado, caiu na graça do público. Na série, Joseph Quinn interpreta Eddie, um aluno excêntrico da escola da trama. A interpretação chamou a atenção do público e lhe rendeu uma indicação ao Saturn Award. 

Sebastian Stan interpretou Tommy Lee na minissérie controversa Pam & Tommy, da Hulu. Além disso, coestrelou o filme de terror Fresh. Por ambos papéis, recebeu indicações a inúmeras premiações, inclusive uma ao Emmy. 

Aproveitando o sucesso de Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa, no qual reprisou o papel de Peter Parker e redefiniu a percepção do público sobre sua atuação, o ano de Andrew Garfield seguiu numa crescente. O ator entrou na lista da Time das pessoas mais influentes do ano e protagonizou a série Under the Banner of Heaven, da Hulu.

Fotos: Momodu Mansaray. Getty / Guito Moreto. Agência O Globo / Divulgação / Getty Images / Amanda Edwards. Getty Images

O cantor e produtor canadense Daniel Caesar fechou o ano  com cinco indicações ao Grammy por sua colaboração com Justin Bieber. Sem falar, é claro, da próxima de novo álbum que irá suceder Case Study 01. Já o duo Silk Sonic, formado por Bruno Mars e Anderson Paak, venceu as categorias de Música e Gravação do ano no Grammy com Leave the Door Open – performance e música em R&B também. 

A britânica Charli XCX também passou pelo país para divulgar o aclamado Crash. Uma das paradas foi no Primavera Sound.

Aqui pelo Brasil, Baco Exu do Blues nos presenteou com o álbum QVVJFA, enquanto o trio Gilsons nos entregou músicas deliciosas em Pra Gente Acordar.

Fotos: Imran Ciesay / Divulgação / Spotify / Divulgação / Lucas Nogueira

OS DESTAQUES

Convenhamos: 2022 foi o ano da Anitta! A carreira internacional da cantora brasileira ganhou proporções astronômicas. Com o single “Envolver”, ela alcançou o topo do Top 50 Global do Spotify e entrou para o Guinness Book. A música, presente no álbum Versions of Me, fez com que ela ganhasse o MTV Video Music Awards e o American Music Awards na categoria Melhor Canção Latina. Anitta ainda ganhou uma estátua de cera no Museu Madame Tussaud, apareceu no Savage x Fenty Show Vol.4 e foi indicada ao Grammy – sem falar inúmeras aparições em programas internacionais.

Um novo álbum: foi o necessário para colocar Beyoncé no topo – lugar que a cai muito bem. Com o disco Renaissance, que conversa com os gêneros disco e house, a cantora homenageou a cultura do ballroom e colocou todo mundo para dançar nas baladas em todo o mundo. O disco foi eleito o melhor do ano pela Rolling Stone, Pitchfork, Vulture e Los Angeles Times. Além disso, ela conseguiu nove indicações ao Grammy nas principais categorias. Sem falar, é claro, que foi indicada ao Oscar no início do ano pela canção “Be Alive”, do filme King Richard.

É indiscutível o talento de Gloria Groove. O álbum Lady Leste nos mostra isso. Após os sucessos dos singles “Bonekinha”, “A Queda” e “Leilão”, a cantora nos entregou um disco recheado de hits. Ela embalou o público no Lollapalooza no último dia desta edição, colocando todo mundo para cantar “Vermelho” e outros sucessos, além de ser voz política ativa durante as eleições. Afinal, 13 lhe cai bem. A drag ainda foi apresentadora dos programas TVZ e Música Boa ao Vivo, bem como do Prêmio Multishow.

Fotos: Mariana Maltoni / Divulgação / Divulgação

Quem não gosta de ver o retorno de algum artista, não é mesmo? Há três anos, Brendan Fraser entrega atuação vocal como Robotman em Doom Patrol, da HBO Max. Mas foi com o filme The Whale, lançado em setembro no Festival de Cinema de Veneza, que o ator voltou aos holofotes. Ele até foi aplaudido de pé durante seis minutos ininterruptos. Pela atuação, já recebeu indicações ao Critics Choice e Globo de Ouro. Ao que tudo indica, vem nomeação ao Oscar também.

Ethan Hawke é um ator consagrado em Hollywood. Em 2022, ele não fez por menos. O ator colheu boas avaliações após interpretar um serial killer (assustador!) de crianças em O Telefone Preto. Ele ainda foi o antagonista de Moon Knight, série do MCU; viveu um viking de época em O Homem do Norte; dirigiu a minissérie documental The Last Movie Stars, sobre Paul Newman e Joanne Woodward; e fez uma aparição em Glass Onion: A Knives Out Mystery. É pouco ou quer mais?

Tom Cruise tem 60 anos (sim, impressionante) e continua fazendo filmes de ação alucinantes sem usar dublês, em cenas super arriscadas, quase irresponsáveis. E conseguiu fazer com que a sequência de um filme de 36 anos atrás fosse a maior bilheteria do ano (!) com Top Gun: Maverick, ultrapassando a barreira de US$ 1 bilhão no mundo todo – para ser mais preciso, US$ 1.488.732.821 até o fechamento deste artigo – mesmo sem ser uma produção da Marvel. E o filme deu tão certo que está aparecendo em todas as premiações do próximo ano, como Critics Choice Awards, Globo de Ouro e, possivelmente, estará no Oscar. É invejável o cara com essa idade ainda estar fazendo filmes loucos correndo os riscos que corre, seja pendurado num avião ou saltando de moto de um penhasco. Talvez seja o último grande astro de Hollywood. E ano que vem tem mais, com a penúltima sequência da franquia Missão: Impossível.

Fotos: Andreas Laszlo Konrath / Fanny Latour-Lambert / Gareth Cattermole. Getty Images

Em se tratando do mundo das telenovelas, é inquestionável que Todas as Flores foi a melhor do ano. E a primeira novela lançada direto no streaming só funciona por conta de seu trio principal. Sophie Charlotte, Letícia Colin e Regina Casé entregam performances impecáveis, mostrando que suas personagens não são apenas uma coisa só; vale a máxima de que ninguém é inteiramente bom ou ruim. Elas são responsáveis (além do roteiro) por manter todos nós ansiosos a cada término de cada capítulo, com as reviravoltas, brigas e emoções. Trabalho de mestre!

Fotos: Estevam Avellar. Globo / Estevam Avellar. Globo / Divulgação. Globoplay

Isabel Teixeira já tinha uma carreira consolidada no teatro quando fez uma ponta em Amor de Mãe, da Globo, na época da pandemia. Mas foi em Pantanal, na mesma emissora, que a atriz roubou a cena e deu um show de atuação. No remake, ela interpretou Maria Bruaca, uma mulher violentada num casamento fadado ao fim, que passa por transformações em busca de si. Milhares de mulheres brasileiras se identificaram com a personagem, que virou símbolo de luta. Recentemente, ela foi indicada ao troféu Melhores do Ano, do Domingão.

Não só em Wednesday que Jenna Ortega brilhou esse ano. A série e a personagem mais falados das últimas semanas foram a “cereja do bolo” num ano marcado por sucessos para a atriz. Aos 20 anos, a estadunidense iniciou 2022 com destaque na 5ª parte da franquia Pânico, na pele da adolescente Tara Carpenter. Ela seguiu no terror e apareceu em Studio 666, X e American Carnage. Recortes do drama adolescente The Fallout também “floodaram” o TikTok. O próximo trabalho será reprisando o papel na franquia do temido Ghostface.

Ator, roteirista, comediante, produtor. Tem algo que Joel Kim Booster não faça? O sul-coreano criado nos Estados Unidos nos presenteou com o filme Fire Island, uma comédia romântica LGBTQIA+ com elenco principal de atores asiático-americanos. Além disso, lançou o especial de stand-up Joel Kim Booster: Psychosexual, na Netflix, pelo qual recebeu uma indicação ao Critics Choice.

Fotos: Jorge Bispo / Divulgação / Taylor Miller

Que ano incrível para a carreira de Keke Palmer, não é mesmo? A estadunidense estrelou o filme de ação Alice (lançado em Sundance) e o terror Não! Não Olhe!, dirigido por Jordan Peele; narrou o documentário Not so Pretty, que investiga a indústria de beleza; dublou a animação Lightyear, da Pixar; foi jurada na 3ª temporada de Legendary; e apresentou o game-show Password. Na vida pessoal também teve coisa boa: recentemente anunciou a gravidez no palco do Saturday Night Live.

Seja sincera(o): em algum momento de 2022, você viu o rosto de Mia Goth em algum tweet. A atriz foi uma das queridinhas do ano após estrelar os filmes de terror X e Pearl, como a protagonista Maxine Minx e a antagonista Pearl. Segundo a Variety, pela atuação, ela deveria receber atenção do Oscar. Os próximos trabalhos serão Infinty Pool (o trailer já está rolando pela internet) e MaXXXine, parte final da trilogia criada por Ti West.

A atuação de Zendaya como Rue Bennett na 2ª temporada de Euphoria é capaz de nos tirar o ar, nos incomodar e nos fazer roer as unhas. A atriz se entrega às complexidades da personagem e garante o reconhecimento em Hollywood. A resposta, inclusive, veio no Emmy. Ela venceu o prêmio este ano pela segunda vez, tornando-se a mais jovem a vencer duas vezes nas categorias principais de atuação. Com o sucesso, entrou na lista da Time das pessoas mais influentes do ano e virou embaixadora global da marca de água Glaceau SmartWater.

Fotos: Lea Winkler / Divulgação. Evening Standard / AB + DM. Lancom

Por Thiago Julio, em colaboração com Rodrigo Ramos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.