Balneário Camboriú recebe festival de cinema francês com 20 filmes inéditos no Brasil

O Festival Varilux de Cinema Francês 2018 acontece entre os dias 7 e 20 de junho na Cineramabc Arthouse e conta a exibição de 21 longas-metragens, sendo 20 deles inéditos em solo brasileiro.

A Cineramabc Arthouse, em Balneário Camboriú, recebe o Festival Varilux de Cinema Francês 2018, que conta com uma programação intensa, com a exibição de 21 filmes ao todo, com três sessões diárias, entre os dias 7 e 20 de junho. A mesma programação acontece em salas de cinema de outras 63 cidades brasileiras que também receberão o evento cinematográfico.

O evento, que no ano passado conquistou o ranking de maior festival francês do mundo, levou 180 mil pessoas aos cinemas, apontando um crescimento de 15% em relação ao ano anterior. Ao todo, serão 20 longas-metragens da nova safra da cinematografia francesa e um clássico. Entre eles, filmes com estrelas como Vincent Cassel, Isabelle HuppertCharlotte Gainsbourg, Pierry Niney, Lambert WilsonJean Dujardin, entre outros.

Para dar início à vasta programação, haverá a sessão de abertura, nesta terça-feira (5), com confraternização às 20h e início da projeção às 21h com o longa-metragem Nos Vemos No Paraíso, de Albert Dupontel.

A Cineramabc Arthouse fica localizada na Rua São Paulo, 581-1, no bairro dos Estados, em Balneário Camboriú. Os ingressos para as sessões custam R$ 22 (inteira) e R$ 11 (meia-entrada).

Para conferir a programação completa e saber mais detalhes sobre o festival, acesse os sites da Cineramabc Arthouse e do Festival Varilux.

OS FILMES

O público terá a oportunidade de assistir aos mais novos trabalhos de cineastas, astros, estrelas consagrados e também de premiados jovens talentos que imprimem diversidade e originalidade ao cinema francês. Entre as produções, destacam-se três filmes da nova geração francesa de cineastas, designada várias vezes pela crítica de “nouvelle guarde”: Custódia (Jusqu’à la garde), de Xavier Legrand, que acompanha a disputa entre um casal pela guarda do filho. O longa foi vencedor do Prêmio de Melhor Direção e Melhor Primeiro Filme no Festival de Veneza. A Excêntrica Família de Gaspard (Gaspard va au mariage), de Antony Cordier, comédia melancólica sobre o adeus à infância, desejo e tempo. O Poder de Diane (Diane a les Épaules), de Fabien Gorgeart, em que uma mulher concorda em gerar o filho de um casal de amigos homossexuais, abordando com humor e ternura a temática dos novos modelos familiares.

Também obras de jovens cineastas, dois filmes de gênero pouco comum na França têm como cenário uma Paris pós-cataclismo. Ao mesmo tempo uma sátira social e um filme de zumbis, o longa de Dominique Rocher, A Noite Devorou o Mundo (La nuit a dévoré le monde), mostra a cidade invadida pelas criaturas, com um único ser humano tentando sobreviver. Na mesma veia, O Último Suspiro (Dans la brume), do quebequense Daniel Roby, mostra uma família tentando se salvar após uma contaminação química, com Romain Duris no papel principal.

Será apresentado o último filme de François Ozon, O Amante Duplo (L’amant double) [foto de capa], um thriller exibido na seleção oficial do Festival de Cannes com a bela Marine Vacth em romance erótico com Jérémie Renier, que desempenha duplo papel na trama. O ator também estará no festival como diretor, pois assina, ao lado do irmão Yannick Renier, a direção do suspense Carnívoras (Carnivores), sobre a relação conflituosa de duas irmãs atrizes.

A cinebiografia Gauguin – Viagem ao Taiti (Gauguin – Voyage de Tahiti), de Edouard Deluc, traz Vincent Cassel no papel do artista em seu autoexílio no Taiti, onde encontra a sua musa Tehura, tema de suas mais importantes pinturas, e local no qual enfrenta solidão, pobreza e doença.

Já o drama LGBT Marvin (Marvin ou la belle éducation), mais recente longa de Anne Fontaine, conta com a atuação de Finnegan Oldfield, um dos jovens atores atuais mais cotados na França. No longa-metragem, ele ainda contracena com a consagrada atriz Isabelle Huppert, que interpreta ela mesma.

O histórico Troca de Rainhas (L’échange des Princesses), ambientado em 1721, conta a história da troca de princesas entre França e Espanha para manter a paz entre os dois reinos e traz no elenco os emblemáticos atores franceses Lambert Wilson e Olivier Gourmet.

Pierre Niney, reconhecido especialmente por sua interpretação em Yves Saint Laurent, poderá ser visto atuando como filho de Charlotte Gainsbourg em Promessa ao Amanhecer (La Promesse de l’aube), adaptado do famoso romance do renomado escritor francês Romain Gary, que foi o único vencedor de dois Prêmios Goncourt.

Um dos mais populares atores franceses, o veterano Daniel Auteuil está no longa Orgulho (Le Brio), de Yvan Attal, como um explosivo professor que aceita preparar uma aluna da periferia para um concurso de oratória. A protagonista Camélia Jordana, atriz e cantora, chamada na França de Nova Madonna, foi premiada com o César 2018 de Melhor Atriz Revelação por esse papel.

Outros dramas que também estão na programação deste ano focarão em questões humanas e sociais. É o caso de Primavera em Casablanca (Razzia), que trata de intolerância e aceitação das diferenças, assinado pelo marroquino Nabil Ayouch. A Aparição (L’apparition), de Xavier Giannoli, investiga a crença e a manipulação de informações ao redor de uma moça que alega ter visto uma aparição da Virgem Maria.

Não faltam ainda as comédias clássicas, dramáticas, românticas, todas com o inconfundível toque francês. Entre elas estão quatro longas-metragens. Ganhador de cinco prêmios Cesar, Nos Vemos No Paraíso (Au revoir là-haut) é uma adaptação do romance de Pierre Lemaître, que conta sobre a amizade entre dois sobreviventes de guerra, que montam um plano para desmascarar um tenente corrupto. Já em 50 são os novos 30 (Marie Francine), de Valérie Lemercier, a diretora também interpreta o papel protagonista de uma mulher que volta a morar com os pais aos 50 anos. O Retorno do Herói (Le retour du héros), de Laurent Tirard (diretor de O Pequeno Nicolau), traz o premiado ator Jean Dujardin como um covarde e desleal capitão, que se transforma em um herói a partir de uma grande mentira inventada por sua cunhada. Por último, De Carona Para o Amor (Tout le monde debout), de Franck Dubosc, retrata a história de um galanteador mentiroso, que se passa por um deficiente para conquistar a amada.

A criançada também não fica de fora, já que vai ter a oportunidade de assistir A Raposa Má (Le grand méchant renard et autres contes), de Benjamin Renner e Patrick Imbert. Ganhador do César de Melhor Filme de Animação em 2018, o longa revela que o campo pode ser nada tranquilo com um coelho que pensa ser uma cegonha, um pato que deseja substituir o Papai Noel e uma raposa que acredita ser uma galinha.

O CLÁSSICO

O clássico do Festival Varilux 2018 é um marco do cinema político mundial: Z, de Costa-Gavras. Completando 50 anos de sua filmagem, o filme-denúncia foi inspirado no assassinato do deputado pacifista grego Lambrakis, cuja investigação foi escandalosamente encoberta por uma rede de corrupção e ilegalidade. O roteiro, escrito por Costa-Gavras e Jorge Semprún, retrata o período de incubação do fascismo e das ditaduras militares e revela a fragilidade da democracia diante da mentira como método de governo e da passividade cômoda do povo. O filme, que tem início com uma advertência nos créditos: “qualquer semelhança com eventos e pessoas da vida real não é coincidência, é intencional” se mostra sempre relevante e atual.

O longa venceu dois Oscars (melhor filme estrangeiro e melhor edição) e foi indicado em outras três categorias (filme, direção e roteiro). Conquistou também um Globo de Ouro (melhor filme estrangeiro) e dois prêmios no Festival de Cannes (melhor ator e prêmio do júri de melhor filme).

O DOCUMENTÁRIO

O documentário A Busca do Chef Ducasse (La quête d ́Alain Ducasse), dirigido pelo renomado repórter e documentarista Gilles de Maistre, levará o público numa viagem fascinante nas grandes metrópoles do planeta – inclusive no Brasil – com o mais renomado chef de cozinha do mundo. Esse documentário será exibido também no âmbito das ações educativas, nas escolas e universidades dedicadas à gastronomia.

 

PROGRAMAÇÃO

7 de junho (quinta – feira)

16:30 – Troca de Rainhas, de Marc Dugain

18:30 – A Excêntrica Família de Gaspard, Antony Cordier

20:30 – Gauguin – Viagem ao Taiti, de Edouard Deluc

 

8 de junho (sexta – feira)

16:30 – Primavera em Casablanca, de Nabil Ayouch

18:45 – Custódia, de Denis Ménochet, Léa Drucker, Mathilde Auneveux

20:30 – Carnívoras, de Jérémie Renier e Yannick Renier

 

9 de junho (sábado)

17:00 – A Raposa Má, de Benjamin Renner e Patrick Imbert

18:30 – O Orgulho, de Yvan Attal

20:30 – Promessa ao Amanhecer, de Eric Barbier

 

10 de junho (domingo)

16:30 – 50 São os Novos 30, Valérie Lemercier

18:30 – Z, de Costa-Gavras

20:45 – Nos Vemos no Paraíso, de Albert Dupontel

 

11 de junho (segunda – feira)

16:30 – Marvin, de Anne Fontaine

18:45 – O Amante Duplo, de François Ozon

20:45 – A Noite Devorou o Mundo, de Dominique Rocher

 

12 de junho (terça – feira)

16:30 – O Retorno do Herói, de Laurent Tirard

18:30 – O Poder de Diane, Fabien Gorgeart

20:30 – De Carona para o Amor, de Frank Dubosc

 

13 de junho (quarta – feira)

16:30 – A Busca do Chef Ducasse, de Giles de Maistre

18:45 – Carnívoras, de Jérémie Renier e Yannick Renier

20:45 – A Excêntrica Família de Gaspard, de Antony Cordier

 

14 de junho (quinta – feira)

16:30 – O Último Suspiro, de Daniel Roby

18:15 – A Aparição, de Xavier Giannoli

20:45 – O Orgulho, de Yvan Attal

 

15 de junho (sexta – feira)

16:30 – Gauguin – Viagem ao Taiti, de Edouard Deluc

18:30 – Troca de Rainhas, de Marc Dugain

20:30 – Marvin, de Anne Fontaine

 

16 de junho (sábado)

16:30 – O Poder de Diane, de Fabien Gorgeart

18:30 – Nos Vemos no Paraíso, de Albert Dupontel

20:45 – O Amante Duplo, de François Ozon

 

17 de junho (domingo)

16:30 – A Raposa Má, de Benjamin Renner e Patrick Imbert

18:30 – O Retorno do Herói, de Laurent Tirard

20:30 – Primavera em Casablanca, de Nabil Ayouch

 

18 de junho (segunda – feira)

16:30 – O Orgulho, de Yvan Attal

18:30 – Promessa ao Amanhecer, de Eric Barbier

20:50 – 50 São os Novos 30, de Valérie Lemercier

 

19 de junho (terça – feira)

16:30 – A Aparição, de Xavier Giannoli

18:50 – A Busca do Chef Ducasse, de Giles de Maistre

21:00 – Custódia, de Denis Ménochet, Léa Drucker, Mathilde Auneveux

 

20 de junho (quarta – feira)

16:30 – A Noite Devorou o Mundo, de Dominique Rocher

18:30 – De Carona para o Amor, de Frank Dubosc

20:30 – O Último Suspiro, de Daniel Roby

 

SINOPSE, TRAILER E FICHA TÉCNICA DOS FILMES DA PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL VARILUX DE CINEMA FRANCÊS 2018

50 São os Novos 30, de Valérie Lemercier (Comédia – 95 minutos – 12 anos – 2017 – França)

Sinopse: Velha demais para o marido, demitida do emprego, Marie-Francine deve voltar a morar na casa dos pais… aos 50 anos! Apesar de infantilizada por eles, é numa pequena lojinha de cigarros eletrônicos da qual vai tomar conta, que ela vai conhecer Miguel que, sem ousar confessar, está na mesma situação que ela.

O Amante Duplo, de François Ozon (Drama – 107 minutos – 18 anos – 2017 – França)

Sinopse: Chloé, uma jovem frágil, se apaixona por seu psicoterapeuta. Alguns meses depois, eles vão
morar juntos, mas ela descobre que seu amante lhe escondeu um outro lado de sua identidade.

A Aparição, de Xavier Giannoli (Drama – 137 minutos – 12 anos – 2018 – França)

Sinopse: Jacques, grande repórter de um jornal francês, recebe um misterioso telefonema do Vaticano. Em um pequeno vilarejo no sudeste da França, uma jovem de 18 anos afirma ter visto a aparição da Virgem Maria. Os rumores logo se espalham, e o fenômeno toma tal dimensão que milhares de peregrinos vão se reunir no local das supostas aparições. Jacques, que não tem nada a ver com esse mundo, aceita fazer parte de uma comissão de investigação encarregada de esclarecer esses eventos.

A Busca do Chef Ducasse, de Giles de Maistre (Documentário – 119 minutos – Livre – 2017 – França)

Sinopse: Atualmente, Alain Ducasse é o chef e mentor de culinária mais famoso no mundo. Com 23 restaurantes, 18 estrelas Michelin, ele não para de criar locais novos, construir escolas, ultrapassar as fronteiras da profissão rumo a novos horizontes, a uma gastronomia mais humanista, engajada e responsável. Alain atravessa o mundo de forma incansável, pois acredita que a culinária é um universo infinito. Ele aceitou ser acompanhado em suas atividades, durante quase dois anos, nos abrindo, assim, as portas de seu mundo em constante evolução.

Carnívoras, de Jérémie Renier e Yannick Renier (Suspense – 98 minutos – 14 anos – 2018 – França)

Sinopse: Mona sempre sonhou em ser atriz. Ao sair do Conservatório, ambiciona um futuro brilhante pela frente, mas é Sam, sua irmã mais nova, que logo se torna uma atriz famosa. Sem recursos, Mona é obrigada a morar com Sam, que, fragilizada por uma filmagem difícil, propõe que Mona se torne sua assistente. Aos poucos, Sam vai negligenciando seus papéis de atriz, de esposa e de mãe e acaba se perdendo. Mona acredita que deve se apossar dos papéis que Sam abandona.

Custódia, de Denis Ménochet, Léa Drucker, Mathilde Auneveux (Drama – 93 minutos – 14 anos – 2018 – França)

Sinopse: O casal Besson se divorcia. Para proteger o filho de um pai que ela acusa de violências, Miriam exige a guarda exclusiva. A juíza encarregada do caso decide pela guarda compartilhada, pois considera o pai desrespeitado. Refém entre seus pais, Julien vai fazer de tudo para impedir que o pior aconteça.

De Carona Para o Amor, de Franck Dubosc (Comédia – 107 minutos – 12 anos – 2018 – França)

Sinopse: Jocelyn, homem de negócios em pleno sucesso, é um paquerador e um mentiroso inveterado. Apesar de cansado de ser ele mesmo, ele acaba seduzindo uma jovem e linda mulher se fazendo passar por um deficiente. Até o dia em que ela apresenta a ele a irmã, que é deficiente.

A Excêntrica Família de Gaspard, de Antony Cordier (Comédia – 103 minutos – 14 anos – 2018 – França)

Sinopse: Depois de ficar afastado durante anos, Gaspard, com 25 anos, se reencontra com a família após o anúncio do casamento do pai. Acompanhado de Laura, uma moça extravagante, que aceita fingir ser sua namorada durante o casamento, ele se sente pronto para pisar, novamente, no zoológico familiar e rever os animais que o viram crescer… Mas entre um pai mulherengo, um irmão sensato demais e uma bela irmã, ele não tem consciência de que está prestes a viver os últimos dias de sua infância.

Gauguin – Viagem ao Taiti, de Edouard Deluc (Drama – 101 minutos – 12 anos – 2017 – França)

Sinopse: No ano de 1891, Gauguin se exila no Taiti. Ele quer reencontrar sua pintura livre, selvagem, longe dos códigos morais, políticos e estéticos da Europa civilizada. Ele se infiltra na selva, encarando a solidão, a pobreza, a doença. Lá, Gauguin conhece Tehura, que se tornará sua esposa e tema das suas telas mais importantes.

Marvin, de Anne Fontaine (Drama – 113 minutos – 12 anos – 2017 – França)

Sinopse: Marvin Bijou está em fuga: Primeiro de seu vilarejo em Vosges, depois da família, da tirania do pai, da renúncia da mãe e por último da intolerância, rejeição, humilhações as quais era exposto por tudo que faziam dele um rapaz “diferente”. Fora de lá, ele descobre o teatro e aliados que, finalmente, vão permitir que sua
história seja contada por ele mesmo.

A Noite Devorou o Mundo, de Dominique Rocher (Terror – 93 minutos – 16 anos – 2018 – França)

Sinopse: Ao se levantar de manhã num apartamento onde, de véspera, houve uma grande festa, Sam deve se render à evidência: ele está sozinho e mortos-vivos invadiram as ruas de Paris. Aterrorizado, ele vai ter que se proteger e se organizar para continuar a viver. Mas será que Sam é mesmo o único sobrevivente? Adaptação do livro homônimo de Martin Page.

Nos Vemos no Paraíso, de Albert Dupontel (Comédia – 117 minutos – 12 anos – 2017 – França)

Sinopse: Em novembro de 1918, alguns dias antes do Armistício de Compiègne, Édouard Péricourt salva a vida de Albert Maillard. Ambos não têm nada em comum, a não ser a guerra, e são obrigados a se unir para sobreviver. Anos depois, Albert e Édouard planejam uma farsa para desmascarar o Tenente Preadelle que tenta fazer fortuna com corpos das vítimas da guerra. Adaptação do romance de Pierre Lemaître, premiado pelo Prix Goncourt em 2013. Vencedor de 5 Prêmios César 2018: Melhor Figurino, Melhor Fotografia, Melhor Adaptação, Melhor Cenário, Melhor Direção.

O Orgulho, de Yvan Attal (Comédia – 95 minutos – 12 anos – 2017 – França)

Sinopse: Neila Salah cresceu na periferia e sonha em se tornar advogada. Inscrita na grande universidade parisiense de Assas, ela se confronta, desde o primeiro dia, com Pierre Mazard, professor conhecido por suas provocações e deslizes. Para se desculpar por sua conduta desrespeitosa, Pierre aceita preparar Neila para o prestigioso concurso de eloquência. Cínico e exigente, Pierre pode se tornar o mentor que Neila precisa… Mas é necessário que ambos superem seus preconceitos. Camélia Jordana obteve o César 2018 de Melhor Atriz Revelação.

O Poder de Diane, de Fabien Gorgeart (Comédia – 87 minutos – 12 anos – 2017 – França)

Sinopse: Sem hesitação, Diane aceitou carregar o filho de Thomas e Jacques, seus melhores amigos. É nessas circunstâncias, não muito ideais, que ela se apaixona por Fabrizio.

Primavera em Casablanca, de Nabil Ayouch (Drama – 119 minutos – 14 anos – 2018 – França)

Sinopse: Em Casablanca, entre o passado e o presente, cinco destinos estão inconscientemente interligados. Diferentes rostos, diferentes trajetórias, diferentes lutas, mas a mesma busca pela liberdade. E o som de uma revolta que cresce.

Promessa ao Amanhecer, de Eric Barbier (Drama – 130 minutos – 12 anos – 2017 – França)

Sinopse: De sua infância difícil na Polônia, passando por sua adolescência sob o sol de Nice, até suas proezas como aviador durante a Segunda Guerra Mundial, Romain Gary viveu uma vida extraordinária. Mas essa ânsia por viver mil vidas e se tornar um grande homem, ele deve a Nina, sua mãe. É o amor louco dessa mãe cativante e excêntrica que fará dele um dos maiores romancistas do século XX. Mas esse amor materno, sem limites, também será seu fardo por toda vida.

A Raposa Má, de Benjamin Renner e Patrick Imbert (Animação – 80 minutos – Livre – 2017 – França)

Sinopse: Aqueles que pensam que o campo é um lugar calmo e tranquilo se enganam, lá há animais particularmente agitados, uma raposa que pensa ser uma galinha, um coelho que se faz de cegonha e um pato que quer substituir o Papai Noel. Se quiserem tirar férias, mudem de caminho! Vencedor do César de Melhor Filme de Animação em 2018.

O Retorno do Herói, de Laurent Tirard (Comédia – 90 minutos – 12 anos – 2018 – França)

Sinopse: Elisabeth é alinhada, séria e honesta. O capitão Neuville é covarde, desleal e sem escrúpulos. Ela o detesta. Ele a despreza. Mas fazendo dele um herói de opereta, ela se torna, sem querer, responsável por uma farsa que logo a arrebatará…

Troca de Rainhas, de Marc Dugain (Drama – 100 minutos – 12 anos – 2017 – França)

Sinopse: Ano de 1721. Uma ideia audaciosa germina na mente de Felipe de Orléans, regente da França… Luís XV de 11 anos, logo se tornará rei, e, uma troca de princesas permitiria consolidar a paz com a Espanha, após anos de guerra, que deixaram os reinos enfraquecidos. Então, Felipe casa a filha, Mlle de Montpensier, de 12 anos, com o herdeiro do trono da Espanha, e Luís XV se casa com a Infanta da Espanha, Anna Maria Victoria, de 4 anos. Mas a entrada precipitada dessas jovens princesas na corte francesa, sacrificadas no altar dos jogos dos poderes, vai acabar com a sua tranquilidade.

O Último Suspiro, de Daniel Roby (Ação/Ficção – 89 minutos – 14 anos – 2018 – França)

Sinopse: No dia em que uma névoa estranha e mortal submerge em Paris, os sobreviventes encontram refúgio nos andares superiores dos edifícios e nos telhados da capital. Sem informação, sem eletricidade, sem água ou comida, uma pequena família tenta sobreviver a esse desastre… Mas as horas passam e uma coisa é clara: a ajuda não virá e será necessário tentar a sorte na névoa..

Z, de Costa-Gavras (Drama – 125 minutos – 16 anos – 1969 – França)

Sinopse: Tendo como trama principal o assassinato de um político liberal (Yves Montand), simulando um acidente, é retratado o caso Lambrakis. Ato acontecido, na Grécia, no início da década de 60, no qual a investigação sobre a morte do político foi, escandalosamente, encoberta por uma rede de corrupção e ilegalidade pela polícia e pelo exército.

Z foi o primeiro filme a ser indicado na categoria melhor filme estrangeiro no Oscar, em 1970. Recebeu, ainda, três outras indicações, nas categorias de melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro adaptado. No Festival de Cannes, em 1969, recebeu o Prêmio do Júri e o de melhor ator para Jean-Louis Trintignant. Z também foi indicado à Palma de Ouro.


 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close