Arquivo da tag: Golden Globes

Globo de Ouro 2018 | Os vencedores

Três Anúncios Para Um Crime, Big Little Lies e The Handmaid’s Tale são os destaques da premiação.

Continuar lendo Globo de Ouro 2018 | Os vencedores

Anúncios

Globo de Ouro 2017 | Conheça os vencedores

No cinema, La La Land é o maior vencedor da história da premiação. Na TV, The Crown, Atlanta e The People v. O.J. Simpson são os destaques.

Continuar lendo Globo de Ouro 2017 | Conheça os vencedores

Globo de Ouro 2017 | La La Land e The People v O.J. Simpson lideram os indicados

Premiação acontece no dia 8 de janeiro, com apresentação de Jimmy Fallon.

Continuar lendo Globo de Ouro 2017 | La La Land e The People v O.J. Simpson lideram os indicados

Os Miseráveis | Review

Os Miseráveis cartaz

Les Misérables
Inglaterra, 2012 – 158 min
Musical / Drama

Direção:
Tom Hooper
Roteiro:
William Nicholson, Alan Boublil, Claude-Michel Schönberg, Hebert Kretzmer
Elenco:
Hugh Jackman, Russell Crowe, Anne Hathaway, Amanda Seyfried, Eddie Redmayne, Helena Bonham Carter, Sacha Baron Cohen

Há dois anos, Tom Hooper saiu do anonimato e se tornou um diretor renomado por conta de seu prêmio de melhor direção por O Discurso do Rei no Oscar, que também levou o troféu de melhor filme. Depois disso, ele precisava de um projeto que o alavancasse novamente. Por isso, nada poderia dá-lo mais uma chance do que fazer um musical – gênero que o pessoal da Academia ama – e ainda por cima fazê-lo com uma história mundialmente conhecida e aclamada.

Os Miseráveis acompanha a história de Jean Valjean (Hugh Jackman), o prisioneiro 24601. Por 19 anos ele cumpriu pena na França do século XIX por ter roubado pão para alimentar o filho de sua irmã. Mas depois de tanto tempo, ele resolve fugir e reinventar a sua vida. O problema é que aonde ele vai, o policial Javert (Russell Crowe) também aparece tentando prendê-lo. No meio desta saga que dura por várias décadas, diversos personagens passam pela vida de Valjean.

Não há como negar que a produção de Os Miseráveis é maravilhosa. Tom Hooper fez questão de fazer um musical de luxo, tão belo quanto uma Ferrari zero quilômetro e um colar de diamantes, daqueles que Marilyn Monroe costumava usar. Um trabalho técnico primordial, mas a essência do longa-metragem é o mais importante e o que mais incomoda.

O filme tem quase três horas de duração. Quando um longa tem uma metragem tão extensa, ele precisa encontrar algum elemento que deixe o espectador confortável o suficiente para não se incomodar de ficar tanto tempo sentado. Mas Tom Hooper toma as providências para deixar o espectador cada vez mais desconfortável. Os Miseráveis é praticamente uma ópera. A película é inteiramente cantada, totalmente sem diálogos.

Para o apaixonado pela obra, pode ser que tenha seus encantos. Contudo, a maior parte do público tem todas as chances de se entediar. A cantoria desenfreada é um dos principais fatores, mas a qualidade das canções também pesa. Além disso, a própria história se arrasta da metade pra frente e cada vez menos queremos seguir adiante.

O ápice da película é a participação de Anne Hathaway. É uma pena, porém, que ela apareça apenas em 20 minutos das quase três horas. Sua personagem é a sofrida Fantine, mãe solteira e que batalha para conseguir sustentar a filha. Mesmo com pouco tempo em tela, ela é a que mais sofre. Hathaway consegue transpor tanto sentimento, dor, agonia e sofrimento, seja nas expressões de seu rosto, na fragilidade de sua voz e sua linguagem corporal, como se estivesse sendo acuada o tempo todo. Sua participação no longa culmina na incrível interpretação de “I Dreamed a Dream”. É de encher os olhos de lágrimas com uma performance tão bela, que também mostra a fragilidade da personagem juntamente com a força dela em prol de sua filha.  Se Os Miseráveis tem um motivo para ser visto, certamente é Hathaway, na melhor atuação de sua carreira.

Outro ator que merece reconhecimento é Hugh Jackman. O ator já provou ser talentoso e que manda bem no gogó, e só confirma estas impressões em seu papel, apesar deste enfraquecer conforme a película se desenrola. Quem merece um puxão de orelha é Russell Crowe, evidentemente deslocado em seu papel e que não tem o mesmo poder vocal dos demais integrantes do elenco. Ainda na questão vocal, é válida a atitude de Hooper conceber este musical sem playback, com os atores cantando ao vivo no set. Isto faz com que a emoção e as atuações sejam críveis. De qualquer maneira, este detalhe não é o suficiente para fazer de Os Miseráveis um filme memorável.

É difícil superar a sessão de Os Miseráveis, mas com muito esforço e cafeína no sangue é até possível. É uma obra superestimada, que se apoia na produção arrojada e nas atuações de Jackman e Hathaway, mas não empolga e tampouco emociona do jeito que pretende. Além disso, reconta uma história que não precisava de um novo tratamento cinematográfico. Logo, Os Miseráveis é ruim até mesmo para o gênero musical. Há filmes que ficam melhores conforme o tempo passa (como é o caso da filmografia de Quentin Tarantino), enquanto há outros em que o processo é inverso e a película fica cada vez pior. Os Miseráveis está inserido neste segundo exemplo e se prova, de longe, o pior dentre os longas-metragens indicados ao Oscar de melhor filme.

2.5 STARS

Globo de Ouro 2013 | Os Indicados

Golden GlobesForam anunciados os indicados à 70ª edição do Globo de Ouro, premiação dedicada aos melhores da TV e do cinema. Ed Helms, Jessica Alba e Megan Fox foram convidados para revelar os indicados nesta manhã de quinta-feira, 13.

Nas categorias de cinema quem lidera é Lincoln, novo filme de Steven Spielberg, com 7 indicações, incluindo melhor filme dramático, diretor e ator. Atrás dele estão Argo e Django Livre, com 5 nomeações cada, seguidos por Os Miseráveis, O Lado Bom da Vida e A Hora Mais Escura, que colecionam 4 indicações cada.

Nas categorias televisivas, Homeland é a série favorita, com 4 indicações. Vale ressaltar que pela primeira vez Mad Men, três vezes vencedor do prêmio de melhor série dramática, ficou de fora desta categoria.

Amy and TinaOs vencedores do Globo de Ouro são escolhidos pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA) e serão anunciados no dia 13 de janeiro de 2013, no Berverly Hilton, em Los Angeles. Na septuagésima edição da premiação, Amy Poehler (de Parks and Recreation) e Tina Fey (de 30 Rock), amigas de longa data desde os tempos em que trabalhavam juntas no Saturday Night Live, irão apresentar a festa, que erá transmitida no Brasil pelo canal pago TNT.

Confira abaixo a lista completa dos indicados.

TV

Melhor Série Dramática
Breaking Bad
Boardwalk Empire
Downton Abbey
Homeland
The Newsroom

Melhor Série Cômica
The Big Bang Theory
Episodes
Girls
Modern Family
Smash

Melhor Atriz de Série Dramática
Connie Britton – Nashville
Glenn Close – Damages
Claire Danes – Homeland
Michelle Dockery – Downton Abbey
Julianna Margulies – The Good Wife

Melhor Ator de Série Dramática
Steve Buscemi – Boardwalk Empire
Bryan Cranston – Breaking Bad
Jeff Daniels – The Newsroom
Jon Hamm – Mad Men
Damian Lewis – Homeland

Melhor Ator de Série Cômica/Musical
Alec Baldwin – 30 Rock
Don Cheadle – House of Lies
Louis C.K. – Louie
Matt Leblanc – Episodes
Jim Parsons – The Big Bang Theory

Melhor Atriz de Série Cômica/Musical
Zooey Deschanel – New Girl
Julia Louis-Dreyfus – Veep
Lena Dunham – Girls
Tina Fey – 30 Rock
Amy Poehler – Parks and Recreation

Melhor Minissérie ou Filme feito para TV
Virada no Jogo
The Girl
Hatsfields and McCoys
The Hour
Political Animals

Melhor Ator Coadjuvante em série, Filme para TV ou Minissérie
Max Greenfield – New Girl
Ed Harris – Virada no Jogo
Danny Huston – Magic City
Mandy Patinkin – Homeland
Eric Stonestreet – Modern Family

Melhor Atriz Coadjuvante em série, Filme para TV ou Minissérie
Hayden Panettiere – Nashville
Archie Panjabi – The Good Wife
Sarah Paulson – American Horror Story: Asylum
Maggie Smith – Downton Abbey
Sofia Vergara – Modern Family

Melhor Atriz de Minissérie ou Filme feito para TV
Nicole Kidman – Hemingway & Gellhorn
Jessica Lange – American Horror Story: Asylum
Sienna Miller – The Girl
Julianne Moore – Game Change
Sigourney Weaver – Political Animals

Melhor Ator de Minissérie ou Filme feito para TV
Kevin Costner – Hatfields & McCoys
Benedict Cumberbatch – Sherlock
Woody Harrelson – Game Change
Toby Jones – The Girl
Clive Owen – Hemingway & Gellhorn

CINEMA

Melhor Filme Dramático
Argo
Django Livre
As Aventuras de Pi
Lincoln
A Hora Mais Escura

Melhor Filme Cômico/Musical
O Exótico Hotel Marigold
Os Miseráveis
Moonrise Kingdom
Amor Impossível
O Lado Bom da Vida

Melhor Diretor
Ben Affleck – Argo
Katherine Bigelow – A Hora Mais Escura
Ang Lee – As Aventuras de Pi
Steven Spielberg – Lincoln
Quentin Tarantino – Django Livre

Melhor Atriz em Drama
Jessica Chastain – A Hora Mais Escura
Marion Cotillard – Ferrugem e Osso
Helen Mirren – Hitchcock
Naomi Watts – O Impossível
Rachel Weisz – The Deep Blue Sea

Melhor Ator em Drama
Daniel Day Lewis – Lincoln
Richard Gere – A Negociação
John Hawkes – The Sessions
Joaquin Phoenix – The Master
Denzel Washington – O Voo

Melhor Atriz em Comédia/Musical
Emily Blunt – Amor Impossível
Judy Dench – O Exótico Hotel Marigold
Jennifer Lawrence – O Lado Bom da Vida
Maggie Smith – Quartet
Meryl Streep – Um Divã Para Dois

Melhor Ator em Comédia/Musical
Jack Black – Bernie
Bradley Cooper – O Lado Bom da Vida
High Jackman – Os Miseráveis
Ewen McGregor – Amor Impossível
Bill Murray – Hyde Park on Hudson

Atriz Coadjuvante
Amy Adams – The Master
Sally Field – Lincoln
Anne Hathaway – Os Miseráveis
Helen Hunt – The Sessions
Nicole Kidman – The Paperboy

Melhor Ator Coadjuvante
Alan Arkin – Argo
Leonardo DiCaprio -Django Livre
Philip Seymour Hoffman – The Master
Tommy Lee Jones – Lincoln
Christoph Waltz – Django Livre

Melhor Filme de Animação
Valente
Frankenweenie
Hotel Transilvânia
A Origem dos Guardiões
Detona Ralph

Melhor Roteiro
A Hora Mais Escura – Mark Boal
Lincoln – Tony Kushner
O Lado Bom da Vida – David O. Russell
Django Livre – Quentin Tarantino
Argo – Chris Terrio

Melhor Filme Estrangeiro
Amor (Áustria)
En Kongelig Affære (Dinamarca)
Intocáveis (França)
Kon-Tiki (Noruega, Reino Unido e Dinamarca)
Ferrugem e Osso (França)

Trilha Sonora
As Aventuras de Pi – Mychael Danna
Argo – Alexandre Desplat
Anna Karenina – Dario Marianelli
A Viagem – Tom Tykwer, Johnny Klimek, Reinhold Heil
Lincoln – John Williams

Melhor Canção Original
“For You” – Ato de Valor
“Not Running Anymore” – Stand Up Guys
“Safe & Sound” – Jogos Vorazes
“Suddenly” – Os Miseráveis
“Skyfall” – 007: Operação Skyfall

Cecil B. DeMille (prêmio dedicado ao conjunto da obra)
Jodie Foster