Malandro é Malandro e Mané é Mané: 10 anos sem Bezerra da Silva

um dos sambistas mais divertidos de nossa música nos deixou há 10 anos

Lembro-me bem quando tinha lá meus 10 anos de idade e meu tio colocava um sambista com uma voz engraçada pra escutar no seu som preto, com duas caixas de som e um adesivo da Mancha Verde para tocar alto no apartamento dos meus avós. Foi meu primeiro contato com o samba e minha primeira admiração por aquele senhor com sotaque carioca forte e letras engraçadas, que provavelmente no mundo politicamente correto de hoje em dia teria pilhas e mais pilhas de processos dos mais diversos tipos.

José Bezerra da Silva nos deixou faz 10 anos, mais precisamente no dia 17 de Janeiro de 2005. Bezerra, na verdade, é nordestino, nascido em Recife, no ano de 1927, e se mudou para o Rio de Janeiro pra fugir da pobreza e conhecer seu pai. Foi conhecendo Jackson do Pandeiro que começou sua história com a música, mais precisamente cantando o coco de roda, um ritmo da Paraíba com fortes influências africanas.

Após ficar desempregado, o cantor foi acolhido por um terreiro de umbanda depois de tentar cometer suicídio. Foi ali que uma mãe de santo viu em sua mão que seu futuro seria a música. Graças a essa bela mulher, Bezerra seria um dos maiores artistas da MPB. Gravou 28 cds e compôs músicas com outros artistas como O Rappa e Planet Hemp.

Bezerra, antes de falecer, virou cantor evangélico da Igreja Universal, gravando um álbum.

Fica a homenagem do Previamente com as três músicas mais legais do sambista.

Por Dinho de Oliveira
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s