Os Vingadores – The Avengers | Crítica

Um dos melhores e definitivamente o maior filme de super-heróis de todos os tempos

Já foi provado que os personagens da Marvel têm mais poder nas bilheterias do que os da DC Comics. Tudo bem que Batman – O Cavaleiro das Trevas ultrapassou a marca de US$ 1 bilhão mundialmente, algo que nenhum longa como Homem-Aranha ou X-Men conseguiu. A Marvel resolveu, então, se tornar um estúdio. Junto dessa iniciativa, veio a ideia ambiciosa de fazer a maior reunião de super-heróis da história do cinema. Mas para que isso acontecesse, o estúdio tinha que pavimentar esse caminho.

Tudo começou com Homem de Ferro, em 2006. O longa-metragem dirigido por Jon Favreau e estrelado por Robert Downey Jr. serviu tanto para ressuscitar o estrelato deste, como conseguiu cativar a audiência com ação e doses de bom humor. Desde esta primeira película, a Marvel foi colocando pequenas pistas durante seus filmes, além das famosas cenas pós-créditos para apontar em direção à reunião de super-heróis. Em alguns longas, a inserção é um pouco forçada, contudo tudo isso serviu para um propósito – ou filme – maior.

Hulk, Capitão América, Thor, Homem de Ferro, Gavião Arqueiro, Viúva Negra. Todos estes heróis do universo Marvel estão reunidos em Os Vingadores, um dos melhores filmes de super-heróis de todos os tempos. Para criar esta obra que parecia ser impossível de conceber com perfeição, foi chamado Joss Whedon, diretor pouco conhecido do público. Ele é dono das séries Firefly e Buffy – A Caça-Vampiros, além de ter escrito o roteiro do primeiro Toy Story. Pode parecer um pouco arriscado entregar um filme de tamanha grandeza para alguém como ele, mas Whedon mostra toda a sua capacidade como roteirista e diretor aqui, num trabalho fenomenal.

Como conversava com meus amigos, só havia duas alternativas para Os Vingadores: ou seria um filmaço, ou seria uma catástrofe. Porque pegar vários personagens, conseguir dar importância e profundidade à todos e ainda criar uma história coesa, que prenda a atenção do espectador e não apele para clichês, era uma tarefa árdua. Nunca se fez um filme dessa magnitude em Hollywood, por isso todo cuidado era pouco. Felizmente, Whedon transforma o projeto na primeira opção.

Tentarei falar sem dar spoilers, mas é possível que saia um segredinho ou outro no meio do texto, então esteja avisado. Pois bem, o longa começa dentro das instalações da S.H.I.E.L.D., na tentativa de compreender o cubo mágico. Eis que Loki (Tom Hiddleston) aparece e rouba o objeto. Esta primeira cena já dá o tom de ação que muita gente estava esperando e a fuga do personagem é alucinante. Com este roubo, Nick Fury (Samuel L. Jackson) não vê outra opção a não ser juntar os improváveis soldados.

O longa vai mostrando um personagem de cada vez, caminhando sem pressa para que a reunião tão sonhada por muitos nerds, geeks e afins ocorra. Há a construção de cada personagem e todos têm suas motivações para estar ali. O roteiro é bem acabado, não dando relevância em demasia pra nenhum super-herói. Claro que o Tony Stark/Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) tem algumas das melhores falas, até porque seu personagem tem as melhores condições de fazer piadas, mas em momento algum alguém se torna o foco, descentralizando a equipe. Todos têm a mesma importância e são tratados na mesma medida, com o mesmo tempo em tela.

Deixando de lado a preocupação de que talvez esse fosse o filme do Homem de Ferro e outros heróis, outra incógnita era se o longa teria só um emaranhado de cenas de ação ou um filme com conteúdo. Não dá pra esperar um Batman – O Cavaleiro das Trevas de Os Vingadores, até porque o que Christopher Nolan faz é outra coisa completamente diferente. Os Vingadores tem uma trama bem amarrada, mas nada espetacular. O final é previsível. No entanto, o longa é realmente das relações entre seus personagens. Assim como nos quadrinhos, a relação entre eles é conturbada. É um embate de egos inflados e heroísmo excessivo. Muitas cenas contêm brigas braçais entre os protagonistas. Elas acrescentam muito ao longa, tanto em conteúdo quanto em espetáculo visual.

Uma ótima sacada de Whedon é inserir o humor. Eu ri muito mais em Os Vingadores do que ri em qualquer filme do Adam Sandler. O diretor sempre foi bom em criar situações cômicas em suas obras, e aqui ele não faz diferente. Até nos momentos de mais tensão cabe uma piadinha. Outra coisa boa é que o filme não se leva tão a sério assim. Os momentos que beiram o drama não caem na chatice e nem arrastam o longa para um caminho mais soturno. Os Vingadores é alegre, colorido e barulhento. É uma verdadeira aventura sem limites para a diversão.

Além de uma direção e um roteiro satisfatórios, a película também se dá bem devido ao elenco. Robert Downey Jr. continua inspiradíssimo como Tony Stark; Chris Hemsworth está menos arrogante como Thor; Mark Ruffalo dá o tom perfeito para Bruce Banner/Hulk por ser um ator de minúcias e contido; Chris Evans está perdido no meio do mundo moderno como o Capitão América; Scarlett Johansson aprimora a personalidade de Viúva Negra; Samuel L. Jackson continua se divertindo na pele de Nick Fury; e Tom Hiddleston entrega uma performance deliciosamente malvada e irretocável do sádico, irônico e louco Loki. Em suma, todos estão ótimos em tela e a química entre o núcleo é inegável.

MARVEL'S THE AVENGERS

Os Vingadores é um filme que prova que é possível colocar em cena diversos personagens e ainda assim conseguir dar atenção e profundidade o suficiente para cada um deles, sem deixar de lado a ação. Os fãs de quadrinhos certamente vão amar a película, especialmente por haver diversas passagens que se assemelham – e muito! – com as HQs. Mas não se preocupe. Quem só curte os longas da Marvel não irá se desapontar. Com cenas de ação épicas de tirar o fôlego, efeitos especiais embasbacantes e um 3D que consegue trabalhar perfeitamente a tridimensionalidade (a noção de profundidade, em especial), Os Vingadores é uma aventura perfeita e merece cada centavo que arrecadar por entreter com tantos méritos. O que poderia ser uma bagunça, acaba sendo o melhor filme feito em 2012 até aqui. Uma obra feita para todas as audiências.

Marvel’s The Avengers
EUA, 2012 – 142 min
Ação

Direção:
Joss Whedon
Roteiro:
Joss Whedon
Elenco:
Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo, Chris Hemsworth, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, Tom Hiddleston, Clark Gregg, Cobie Smulders, Stellan Skarsgård, Samuel L. Jackson, Gwyneth Paltrow, Paul Bettany

Por Rodrigo Ramos
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s